Me lembro muito bem, há uns 10 a 15 anos atrás, quando alguns agricultores que eram meus clientes passaram a limitar as visitas na fazenda. Alguns deles limitaram à somente um dia da semana. Outros chegaram a proibir completamente, informando com placas. Mas, por que eles fizeram isso?

Vamos lembrar de mais alguns detalhes, e por que os RTVs iam nas fazendas?

  1. para trazer as informações da cidade ou da fonte, que antigamente (ui, palavra de gente experiente!!) os agricultores não tinham acesso.
  2. para oferecer produtos e vendê-los
  3. para prestar assistência técnica,
  4. para trazer os resultados das análises, das amostras e discutir as estratégias a serem tomadas

Com o aumento do mercado agrícola, da tecnologia e da concorrência, essas visitas aumentaram demais. E as necessidades dos agricultores mudaram. A internet deu acesso à um universo de informações, reduzindo à zero a necessidade de alguém levar estas informações até a fazenda. Por outro lado a assistência técnica aumentou com a Agricultura de Precisão e com o maior número de manejos a serem realizados e o maior número de produtos e ferramentas existentes a serem escolhidos. E, neste caso, eles precisam estar lá para fazer as coletas, as análises e para realizar os diagnósticos (por enquanto…).

Este maior número de ofertas e de decisões a serem tomadas aumentou muito o número de RTVs, Consultores e Vendedores na fazenda. Fazer uma visita à fazenda perdeu completamente o sentido com a internet. E convenhamos, ir à fazenda para oferecer produtos e para discutir resultados de amostras analisadas, também está perdendo o sentido.

E agora veio o covid-19 nos obrigando a reduzir os contatos e a utilizar diversas ferramentas de comunicação à distância. Ou seja, fazendo deasabar por terra o sentido de visitas presenciais, se podemos realizá-las à distância. E o que os agricultores estão achando disso? Veja o que os agricultores americanos estão falando: (link da reportagem completa ao final do artigo)

“Como um efeito colateral positivo (da pandemia), ouvi de várias pessoas que os agricultores realmente gostaram muito de não ter 15 representantes de vendas aparecendo à sua porta nesta primavera. Eles realmente gostaram muito. Talvez os agricultores sejam mais assertivos quanto à criação de um círculo confiável de conselheiros e representantes, aproveitando este momento para deixar o restante do lado?”

Muitos Distribuidores de Insumos e Cooperativas que converso no Brasil me informaram que estão realizando as visitas “normalmente”. Com todas as precauções de segurança, máscara, álcool gel e distância, mas estão realizando. Porém, alguns já reduziram as visitas técnicas presenciais e estão realizando reuniões à distância.

Não seria um bom momento para os Distribuidores e Cooperativas repensarem a forma de realizar a Assistência técnica e o relacionamento com os agricultores?

https://www.croplife.com/editorial/paul-schrimpf/farmers-embrace-digital-tools-coronavirus-best-unintended-impact/

Caso tenha mais exemplos, alternativa ou ideias para tornar a produção de alimentos mais sustentável, envie para nós. Também adoramos receber sugestões, perguntas e comentários. Ou apenas deixe seu nome e e-mail abaixo para receber notificações de novos artigos.

Sobre o autor

Fabiane é FRUTO Co-Founder & CEO. Innovation and Acceleration. Market Intelligence and Market Research specialized in Agribusiness.